10/03/2019

Mapear Onedrive como uma unidade de rede no Windows

Uma das maiores vantagens da utilização da nuvem do OneDrive é o recurso chamado placeholders (espaços reservados). Esta funcionalidade permite que o cliente OneDrive em sua máquina Windows minimize o uso de espaço em disco mostrando todos os arquivos e pastas na nuvem, e quando você tenta abrir um arquivo, ele será imediatamente transferido a partir da nuvem. No entanto, esse recurso foi removido no Windows 10. Mas se você gosta desse recurso, basta simular esse tipo de comportamento simplesmente adicionando a pasta OneDrive como uma unidade de rede no Windows; saiba como fazer.

Desta forma você não fica refém daquele "aplicativozinho" do OneDrive, que sinceramente... acho irritante. Sempre tive problemas de sincronização com ele e ele não funciona como uma unidade, mas sim uma "pasta".

Passo 1. Para mapear OneDrive como uma unidade de rede no Windows, você precisa do ID único da sua conta. Para isso, abra o navegador e acesse sua conta do OneDrive. Na página do serviço, copie o ID único da conta OneDrive na barra de endereços do navegador, ele fica depois de “https://onedrive.live.com/?id=root&cid=”;

Passo 2. Depois de obter e copiar o código, abra o Explorer e clique com botão direito sobre o item “Computador” ou “Este Computador”. No menu que aparece, clique na opção “Mapear unidade de rede…”;

Passo 3. Na janela que aparece, escolha a unidade que deseja usar. no campo “Pasta”, preencha com https://d.docs.live.net/seuidunico (substitua seuidunico pelo código copiado no primeiro passo). Finalmente, clique no botão “Concluir”;

Passo 4. Aguarde enquanto o sistema tenta conectar (isso pode demorar um pouco,dependendo da sua conexão);

Passo 5. Quando o sistema conseguir conectar, ele pedirá as credenciais da conta OneDrive. Informe os dados e clique no botão “OK”;

Passo 6. Imediatamente será exibida a nova unidade de rede no Explorer;

Passo 7. Entre na unidade e você verá todas as suas pastas do OneDrive.

Pronto! Com esse pequeno ajuste, sua pasta OneDrive estará sempre disponível, assim que você conectar na Internet, via unidade de rede.

Fonte: Site TechTudo.

05/03/2019

Como saber qual o NLS_LANG setado para o banco de dados

Você pode usar a view v$nls_parameters para ver: LANGUAGE, TERRITORY e CHATACTER SET estão configurados para o banco de dados Oracle.

Para isso, execute o select:

select DECODE(parameter, 'NLS_CHARACTERSET', 'CHARACTER SET',
'NLS_LANGUAGE', 'LANGUAGE',
'NLS_TERRITORY', 'TERRITORY') name,
value from v$nls_parameters
WHERE parameter IN ( 'NLS_CHARACTERSET', 'NLS_LANGUAGE', 'NLS_TERRITORY')

Abraço.


26/11/2018

SQL - Comando SELECT

O comando SELECT é usado para buscar os valores gravados nas tabelas do banco de dados dentro de um critério pré definido pelo programador, utilizando as clausulas disponíveis na linguagem, onde, dentre elas, apenas a FROM é obrigatória.

Veja abaixo a sintaxe de declaração do SELECT:


SELECT 
        [ALL | DISTINCT] coluna1 [,coluna2]
 FROM 
        tabela1 [, tabela2]
 [WHERE "condições"]
 [GROUP BY "colunas"]
 [HAVING "condições"]
 [ORDER BY "colunas" [ASC | DESC] ]

Abaixo, a listagem operadores e as principais clausulas de comparação:

   = igual
   <> diferente
   != diferente
   > maior que
   !> não maior (menor ou igual)
   < menor que
   ! não menor (maior ou igual)
   >= maior or igual
   <= menor ou igual
   * todos
   ORDER BY define a ordem
   ORDER BY DESC em ordem decrescente
   WHERE onde
   BETWEEN entre. Pertence ao intervalo declarado.
   NOT BETWEEN não pertence ao intervalo declarado.
   GROUP BY agrupar
   IS NULL testa valores nulos. Verifica, por exemplo, se colunas não contém nenhum valor armazenado. Com conteúdo nulo.
   IS NOT NULL testa valores não nulos. Sem conteúdo nulo.
   LIKE o predicado LIKE procura por strings que se encontram dentro de um determinado padrão. Este predicado só pode ser usado com tipos de dados CHARou VARCHAR.
   EXISTS Verifica o número de linhas retornadas pela subquery. Caso ela contenha uma ou mais linhas, então o retorno será mostrado.
   IN permite comparar o valor de uma coluna com um conjunto de valores. Normalmente, utilizamos o IN para substituir uma série de comparações seguidas da cláusula OR.
   NOT IN Não pertence ao conjunto declarado


Exemplos de utilização e estrutura:

Tabela 1 - Usuarios
ID Nome Sobrenome
10 Eduardo Marques
11 Fernando Miranda
12 Rafael Hall
13 Victor Soares

Tabela 2 - Planejamento
ID_USUARIO DIA_SEMANA TEMA
10 Terça Banco de dados
11 Sexta Redes
12 Sabado Fotografia

Exemplo 1 - Listando todos os usuários:
SELECT * FROM USUARIOS

Exemplo 2 - Listando todos os usuários e seus dias ordenados por ID:
SELECT 
   * 
FROM 
   USUARIOS U, 
   PLANEJAMENTO P 
WHERE 
   P.ID_USUARIO = U.ID 
ORDER BY 
   U.ID

Exemplo 3 - Buscar o usuário com o ID igual a 10:
SELECT 
   * 
FROM 
   USUARIOS U 
WHERE 
   U.ID = '10' 

Exemplo 4 - Buscar o usuários num conjunto de IDs:
SELECT 
   * 
FROM 
   USUARIOS U 
WHERE 
   U.ID IN ('10','11')

Exemplo 5 - Buscar o usuários fora de um conjunto de IDs:
SELECT 
   * 
FROM 
   USUARIOS U 
WHERE 
   U.ID NOT IN ('10','11')

Exemplo 6 - Buscar o tema do usuário que contenha 'Edu' no nome:
SELECT 
   P.TEMA 
FROM 
   USUARIOS U, 
   PLANEJAMENTO P 
WHERE 
   P.ID_USUARIO = U.ID 
   AND U.NOME LIKE 'Edu%'

19/11/2018

SQL - Comando INSERT

Este comando é utilizado para inserir valores numa tabela.

A Sintaxe padrão do comando

INSERT     INTO tabela
                         [ (coluna
                         [ , coluna , ... ] ) ]
VALUES
                         (conteúdo
                         [ , conteúdo , ... ] )

Exemplo básico de código:

INSERT INTO USUARIO (NOME, SOBRENOME)
VALUES ('Victor', 'Soares')

No caso do exemplo acima, estamos inserindo valores em determinadas colunas da tabela USUARIO. São elas: NOME e SOBRENOME. Por este motivo elas foram declaradas no comando SQL.

Se o desejo é inserir uma nova linha na tabela USUARIOS utilizando todos os campos, não há necessidade de declarar o nome dos campos da tabela, simplificando o comando SQL, mas deve se respeitar a ordem das colunas no momento da inserção. Vamos a mais um exemplo:

Tabela - USUARIO
ID Nome Sobrenome URL_FACEBOOK
1 Victor Soares /vsoares

INSERT INTO USUARIO 
VALUES ('Eduardo', 'Marques','/marques.eduardo')

O resultado do comando acima será a inserção do usuário 'Eduardo' na tabela USUARIO. Notem que não foram declarados os nomes dos campos, pois todos foram utilizados e a ordem foi respeitada.


12/11/2018

SQL - Comando UPDATE

O comando UPDATE é utilizado para atualizar os dados de uma tabela, podendo utilizar condições para a alteração de apenas alguns conteúdos ou sem condições para atualização da tabela completa.

A estrutura padrão de um UPDATE é:

UPDATE
     [tabela]
SET
     [coluna = 'valor', coluna2='valor2', ...]
WHERE
     [condição]

Exemplo 1: Atualiza apenas o usuário com ID = 1

UPDATE USUARIOS SET NOME='Eduardo'
WHERE ID=1

Exemplo 2: Atualiza todos os usuários

UPDATE USUARIOS SET STATUS='Habilitado'

Exemplo 3: Atualiza várias informações do usuário com ID = 1

UPDATE 
    USUARIOS 
SET 
    NOME='Eduardo',
    SOBRENOME='Marques'
    EMAIL='eduardo@infoaqui.com.br'
WHERE 
    ID=1

Post de destaque

Mapear Onedrive como uma unidade de rede no Windows

Uma das maiores vantagens da utilização da nuvem do OneDrive é o recurso chamado placeholders (espaços reservados). Esta funcionalidade perm...