31/05/2012

Assassin's Creed III



Após surpreender na história da Itália Renascentista, Assassin's Creed conta a sua versão sobre a guerra pela independência nos Estados Unidos.

Assim como seus predecessores, Assassin's Creed III usa os fatos históricos como estopim para uma trama envolvendo uma ordem de assassinos justiceiros, a mesma de Altair e Ezio.


Um novo héroi surge em meio a revolução americana, Ratohnhakéton. De origem indigena, o novo héroi tem um nome tanto dificil de ser lembrado pelos jogadores, então para facilitar os produtores criaram um apelido "Connor".

Entre as novidades preparadas pela Ubisoft estao mais personagens da história que serão aliados ou inimigos de Connor, assim como uma série de implementos na mecânica que influeciarão diretamente no jogo.

"Temos esse objetivo de fazer algo completamente novo, mas que continue verdadeiro em relação à franquia", disse o diretor criativo Alex Hutchinson em entrevista à revista Game Informer desse mês. "As pessoas esperam essa familiaridade, mas também querem algo radicalmente novo. Então temos os pilares familiares de luta, navegação e furtividade social, mas com novos ambientes e novas formas de usá-los e estendê-los", disse.


Filho de uma mulher nativa americana e um pai branco da Inglaterra, Connor cresceu longe dos conflitos e não tem muita noção cultural do que estava de fato acontecendo em sua juventude.

"Assassin's Creed III" promete transportar o jogador para o século 18, onde os americanos lutavam pela liberdade que lhes daria a entrada para um novo mundo.

Ao lado de Connor, o jogador pode esperar figuras históricas importantes, como Benjamin Franklin, que ao contrário do que se imagina, não atuará como uma versão americana de Leonardo da Vinci, mas será mais envolvido com a política e pouco vai colaborar com invenções para Connor.

Uma novidade que promete ser bem legal em "Assassin's Creed III" é que cada localização estará disponível durante o período de verão ou de inverno.

Isso significa mudanças significativas na estética, como as vestimentas dos personagens não controlados pelo computador (NPC), mas também em seu comportamento. Em locais onde o frio é muito rígido, sequer será possível ver civis nas ruas, o que dificultará a furtividade entre o povo.

Os cenários também mudarão seus ambientes, sendo cobertos por neve em vários trechos e dificultando a passagem em trilhas geralmente abertas no verão.

Outro ponto importante: tanto Connor quanto os NPC poderão interagir e modificar os cenários. As opções vão desde atolados na neve, cortar caminho subindo em árvores ou até se esconder atrás dos galhos ressecados.


Já Desmond, o herói do presente,  também voltará ao jogo e segundo Hutchinson, os jogadores podem esperar por "eventos significativos" envolvendo o rapaz. Além disso, o produtor sugere também que até o fim do mundo em 2012 poderá ser um dos temas abordados nos tempos atuais.

A máquina Animus terá sua versão 3.0, mas manterá boa parte dos menus amigáveis já conhecidos dos jogos anteriores, mas uma novidade poderá ser incluída para facilitar ainda mais as longas viagens entre os territórios americanos.

É isso pessoal, agora é esperar até o lançamento, 30 de outubro de 2012.

Abraços e até o próximo post.

Nenhum comentário: