30/04/2012

Impressoras de um futuro não muito distante

Há alguns dias atrás,  a Solidoodle,  anunciou em seu website a pré-venda das impressoras Solidoodle 2, a segunda geração de impressoras que imprimem em 3D. É isso mesmo, elas imprimem arquivos 3D de até 6 polegadas e já são acessíveis aos usuários, por uma bagatela de US$ 499 (menos de R$ 1 mil).

A Solidoodle é uma empresa fundada por Samuel Cervantes, que iniciou sua carreira na General Electrics e era Diretor de Operações na MakerBot até que saiu em 2010 para se dedicar ao projeto da Impressora 3D, torná-lo acessível e de fácil utilização pelos usuários. A impressoras 3D também funcionam como impressoras tradicionais imprimindo documentos e planilhas. Veja abaixo o vídeo do projeto:



Impressora de Comida
Aproveitando o engancho da impressora em 3D, há poucos anos vi um projeto de impressora de comida e fiquei impressionado como a tendência dos filmes e desenhos futurísticos, cada vez mais, se tornarem realidade.

Pois bem, um brasileiro, o campinense Marcelo Coelho, junto com o israelense, Amit Zoran, foram os criadores do projeto CornuCopia, que consiste de 3 aparelhos: uma impressora 3D de comida, um braço robótico que prepara os alimentos e um mixer turbinado. A impressora utiliza capsulas (ou cartuchos) com ingredientes que poderão preparar uma refeição. A impressora, chamada de Digital Fabricator, além de preparar o prato, modela os ingredientes com a perfeição de 1 décimo de milímetro, controla precisamente a temperatura e a umidade dos alimentos e ainda possui conexão com a internet.

Com o braço mecânico, chamado de Robotic Chef, é possível cortar a comida a laser e injetar temperos com seringas. Os alimentos cozidos com uma placa de aquecimento que fica na parte de inferior da impressora.

Infelizmente a impressora de comida ainda não está a venda. Com alguns dos segredos mais importantes guardados a 7 chaves, ela está em processo de obtenção de patente, por isso não há vídeos sobre o projeto.

Atualmente, Marcelo Coelho está atendendo ao programa de PhD pelo Media Lab do Instituto de Tecnologia de Massachussetts (MIT, na sigla em inglês), em Cambridge, nos Estados Unidos, onde fez o seu mestrado.

Impressora de comida, me lembra os Jetsons. Será que só falta o carro voar? Bem, eu acho que não...há diversos protótipos de carros voadores, algums até já autorizados a utilização. Entre os destaques estão o projeto americano Terrafugia e o projeto Pal-V, da Holanda. Ainda são muito diferentes daqueles carros dos filmes futurísticos, porém, em alguns testes realizados, eles conseguiram o objetivo de andar na estrada como um carro e voar como avião ou helicóptero.

O futuro está aí, a cada milésimo de segundo à nossa frente. Então não devemos ter que esperar muito pelas novidades. Obrigado a todos e até o próximo post!


Nenhum comentário: