18/05/2009

Se eu não vender a culpa é sua!

Outro dia acompanhando o Blog de um amigo (www.blogdocrespo.com.br), me deparei com um post que ele havia publicado que me deixou um pouco preocupado.
O tópico falava sobre a mudança proposta pela Coca-Cola para sua agência de publicidade no que diz respeito a remuneração. Atualmente as agências recebem de seus clientes com base nos projetos que criam, desenvolvem e agenciam (daí o nome Agência de Publicidade) com os veículos os anúncios, até ai sem novidades.
O problema agora é que a Coca-Cola quer remunerar as suas agências pelo resultado obtido e não mais pelos serviços prestados. Foi nisso que eu fiquei preocupado e vou fazê-los concordarem comigo.
Pensem o seguinte. O que é a publicidade? Uma ramificação do marketing que também é uma ramificação da administração de uma empresa. Desta forma, pensamos no produto como um todo, desde a sua fabricação, logística, preço, qualidade e por fim como ele se apresenta ao público.
Mas então você pensa, “Mas vender coca-cola é fácil”. Ledo engano. Somente no Brasil a empresa de refrigerantes tem não somente um concorrente (como no caso dos EUA com a Pepsi), aqui ela tem problemas com marcas grandes como o Guaraná e a mesma Pepsi, mas também temos uma infinidade de pequenas marcas que concorrem diretamente pelo bolso (e não gosto) do brasileiro. Mas o caso ainda não é aqui é lá fora. O problema continua. Imagine que nesses momentos de crise no pais do “Uncle Sam”, as pessoas simplesmente diminuam o consumo de coca-cola, achem que está caro demais, que é uma regalia que agora eles podem não precisar; o que isso tem a ver com a publicidade? Nada, certo? Afinal não foi por falta de comercial lindo, de uma super campanha no ponto de venda e aquele caminhão com o Urso do Natal passando pelas ruas que fizeram as pessoas consumirem menos, foram elas mesmas que escolheram. Mas para a Coca-Cola isso já significa que a agência não fez um bom trabalho. Afinal não vendi o que esperava, então você não recebe.
Tudo bem que as próprias agências de publicidade ou marketing, avaliam o mercado e com base nisso dizem aos seus clientes o quanto esperam de retorno, isso é normal no mercado e se a sua agência não faz isso, melhor procurar outra. Mas a questão é que o mercado (lê-se pessoas) é vivo, muda de humor e segue caminhos que muitas vezes foi impossível de prever, ou alguém já esperava essa crise toda e não avisou a ninguém?
Outra questão e acredito que esta seja a mais importante. Publicidade é a alma do negócio, mas nunca O negócio. Isto é algo que eu sempre deixo claro para meus clientes. Não depende de nós (publicitários) as suas vendas, publicidade serve para divulgar, cativar e fidelizar os clientes ou possíveis clientes, nunca vender “mesmo”, por assim dizer. A Casas Bahia pode muito bem fazer uma super campanha de vendas e ninguém aparecer, ou então o cliente pode chegar querendo comprar algum produto que não tenha mais no estoque. De quem é a culpa nestes casos? Afinal a publicidade foi feita e quando bem feita alguém compra, mas depende de como a pessoa foi atendida, se o produto que ela procura está disponível e por fim se o preço está no tamanho do bolso dela.
Porque, desta maneira fica muito fácil para todo mundo. Eu vou e monto uma loja no Shopping, se eu não vender nada mando as contas para a Administração do Shopping dizendo que a culpa é dela, afinal “dependo” deles para vender, certo?
Concordam ou não?

Nenhum comentário: