04/08/2008

Formação de Preço - Assunto complicado

Todo prestador de serviço sofre da mesma dúvida : quanto cobrar ?
Vi ontem no jornal O Globo (veja matéria online) que o salário de um Técnico de Informática no Rio de Janeiro está em R$ 1074,32.
Considere isso para um Técnico de Informática com formação no Ensino Médio e nenhuma Certificação Microsoft (praticamente um estagiário recém formado).
Só a certificação para suporte básico (Microsoft Certified Desktop Support Technician) custá 3 vezes o salário do técnico.
Sem 2 anos de experiência profissional é inviável para um técnico custear uma formação válida para um serviço de suporte básico. (se falarmos de administração de rede fica pior).
Já no caso de Analista de Sistemas (R$ 3704,08) a coisa fica mais complicada ainda.
Quem realmente aprendeu a programar de verdade na faculdade ? (sejamos sinceros)
Sem a Certificação o diploma acadêmico "engana" os profissionais de RH das grandes empresas, mas para o setor de prestação de serviços não, pois os resultados precisam aparecer rapidamente.
Sempre me questiono em que momento na história as empresas de TI se perderam na lógica (quase que básica) da formação de preço.
Vejo empresas oferecendo serviços "de qualidade" com valores que não pagam nem o piso salarial da categoria.
Se somar impostos, alimentação transporte , benefícios e custos administrativos fica inviável.
Sinceramente gostaria muito que a profissão fosse regulamentada por um conselho regional e o Seprorj fiscaliza-se as empresas quanto aos profissionais contratados nos respectivos cargos.

Um comentário:

FisherCat disse...

Eu aprendi sim a programar na faculdade. Acho que o melhor a se falar é que existem cursos e cursos. Formei em Ciencia da Computacao pela UFLA e aprendi e muito bem aprendido as tecnicas de programacao, o que me permite hoje trabalhar em diversas linguagens sem nenhum problema.