27/08/2008

Eletricidade wi-fi? Apresento o WiTricity!

Apresentado no Intel Developer's Forum, que vem ocorrendo em São Francisco e reunido milhares de entusiastas de tecnologia, a empresa norte-americana Intel, famosa pelos seus chips para PCs, apresentou uma tecnologia para transmissão sem fio de eletricidade. Na demonstração, uma lâmpada de 60 watts pôde ser alimentada por um transmissor a 2 metros de distância.

Segundo o Gizmodo, o sistema de recarga tem apenas 25% de perda de energia na transmissão, o que já é um grande feito. Com o desenvolvimento da tecnologia seria possível eliminar boa parte do emaranhado de fios utilizados não só para recarregar baterias, mas também para alimentar equipamentos em seu uso diário.

O estudo foi desenvolvido pelo MIT, em conjunto com a fabricante de chips, e utiliza campos magnéticos para transmitir a energia e assim recarregar os dispositivos. A técnica vem para comprovar a teoria de Nikola Tesla, um dos aclamados inventores do rádio, sobre a transmissão de energia elétrica através do ar em "canais" formados por ondas eletromagnéticas.

Anteriormente a eficiência alcançada era de apenas 50%, conta Marin Soljacic, chefe do grupo envolvido na pesquisa, contudo a Intel conseguiu melhorar a captação das ondas e aumentar a absorção para 3/4 da energia dissipada no ar.

3 comentários:

Mulatinho disse...

O espectro elétrico é gerado por meios químicos e físicos em uma diferença de potencial entre duas cargas. Na química pela eletrólise e física, através de uma indução elétrica através de compos magnéticos. Para se transmitir essa corrente sem um meio físico nos tempos de hoje ainda é uma quimera!!

Abs,

Evandro Mulatinho.

Eletrochave disse...

Seção Quebra-Galho:
Informações e soluções grátis para problemas com chaves e instalação elétrica em www.eletrochave.com.br

Eletrochave disse...

Com todo respeito ao mulatinho, não acho acho que a transmissão e recepção de energia elétrica via eletromagnetismo seja um sonho equidistante. Acredito que dentro de 50 ou menos anos será realidade prática não só alimentando carros e aparelhos, mas imóveis e industrias.